sábado, 18 de dezembro de 2010

"Segundos Que Antecedem ao Choro" arrebata Público do I Salão Semear de Arte Contemporânea

Não deu para ninguém. O artista baiano, natural de Tanque Novo, Fábio Magalhães foi o grande vencedor do I Salão Semear de Arte Contemporânea-Região Nordeste, "abocanhando" R$ 18 mil , referente ao Prêmio de Aquisição e Prêmio de Público, com o óleo sobre tela "Minutos que Antecedem o Choro". O artista conseguiu 15,6 % da preferência dos 2.207 votantes, sendo o prêmio de Aquisição concedido pelo júri do Salão, composto por Lilian França (UFS), Dr. Jorge Coli (Unicamp), Dra. Mirian Estela Nogueira Tavares (Universidade do Algarve / Portugal), Prof.ª Cristiana Tejo (Fundação Joaquim Nabuco / Pernambuco) e pelo Dr. Wellington Cesário (UFS).

Também foram contemplados com o prêmio de Aquisição o fotógrafo Alessandro Assunção (PB), com o trabalho  “Culturas Urbanas e Integração Social” e o sergipano Alexandre Souza com as microesculturas  “Rex”, “Carro de Bois” e “Mar Vermelho”. Cada um recebeu a quantia de R$ 15 mil, enquanto que a artista Célia Pattacini (PE), ficou com o Prêmio Especial da Comissão de Seleção por conta da instalação “Alice”.

Os vencedores foram anunciados ontem, à noite, na Galeria Jenner Augusto, localizada na Sociedade Semear num evento bastante informal e bem prestigiado por artistas, universitários e apreciadores das artes visuais. Na ocasião, foram distribuídos os catálogos do I Salão Semear de Arte Contemporânea- Região Nordeste e lançada a Revista Eletrônica "Crivo" dos formandos do Curso de Jornalismo (UFS) Michel Oliveira, Fernanda Carvalho e Larissa Ferreira.
Todos os 18 artistas selecionados para expor no I Salão foram premiados com R$ 1 mil.

Texto: Suyene Correia

4 comentários:

Jô Felix disse...

A Bahia demora de reconher o talento de um de seus filhos, enquanto a cada momento o resto da país vai lhe dando o devido reconhecimento como um artista excepcional.
Parabéns a Fábio Magalhães !
Parabéns a todos os premiados e selecionados (os baianos também Vladimir Oliveira e Victor Venas)do I Salão Semear de Arte Contemporânea.
O nordeste precisa de eventos como este para para dar visibilidade a produção contemporânea desta região, para o resto do país.Desejo que continuem recebendo apoio financeiro para dar vida longa ao Semear .Tenho certeza que bons frutos serão colhidos.

Jô Felix disse...

Para a senhora Cristiana Tejo:
A Bahia tem artistas, além de Marepe, a exemplo de Fábio Magalhães. É preciso apenas deixar que eles sejam vistos.
O processo de transformação da Bahia não é estático,ele está em movimento, sempre estará.
Parabéns por permitir que as fronteiras do além Bahia sejam abertas, nós não estamos isolados numa identidade
ilusória,necessitamos apenas que abram as portas e nos permitam entrar.

Renata Marengo disse...

Olá Suyene, muito legal o seu blog, parabéns pelo trabalho! Acho muito interessante a diversidade cultural que o Brasil nos oferece. Sou aqui do Sul, mais especificamente Canoas/RS e é com muito gosto que estou te seguindo, assim me aproximo um pouco do Sergipe e arredores! E gostaria de convidá-la para conhecer o meu blog, e se gostares podes me seguir também! ArteConsciente.net

Bangalô Cult disse...

Oi, Renata, que bom saber que o bangalô está ecoando em todos os cantos do país.
Fico muito feliz quando os internautas reagem com o blogueiro e que bom, que vc ficará por dentro das notícias de SE, através do meu blog.
Irei visitar o seu também, aguarde os comentários.
Abçs

Suyene