quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Buenos Aires é bem ali...


Demorei pacas para fazer esta postagem, porque estava envolvida com a Mesa Temática sobre a Importância da Música no Cinema, do Projeto Cine Olho do SESC-SE e agora, fazendo um curso de Arte Contemporânea na Sociedade Semear. Passado o compromisso, venho agora discorrer um pouquinho sobre esta capital maravilhosa que fica ao sul do Brasil.

Confesso que depois de ter conhecido Santiago (Chile) há dois meses, pensei que fosse o supra sumo das capitais sul-americanas. Contemporânea na sua arquitetura, mas tradicional no comportamento de seu povo, Santiago é uma cidade para incluir em qualquer roteiro turístico que se preze, porém, Buenos Aires merece antes sua atenção.

Primeiro porque na atual conjuntura econômica, é mais vantajoso conhecer a capital "europeia" que fica há apenas três horas de voo de SP e, segundo,  porque culturalmente falando, a capital argentina tem mais o que dizer do que a chilena. Basta conhecer o Museo de Arte Latinoamericana (MALBA), o Museo Histórico Nacional e o Museo Nacional de Bellas Artes para corroborar o que estou dizendo, isso sem contar tantos outros centros culturais  (como o Centro Cultural Borges) e  Teatro Colón. E o que dizer da imperdível Feira de Antiguidades no domingo em San Telmo ?
O tango e os cafés são um show à parte. A cada manhã, você pode escolher um lugar diferente onde tomar seu desayuno, porque em cada quarteirão, dezenas de lugares aconchegantes estão à sua espera com as famosas  media lunas, tostadas e jugo de naranja (espremido). Já para se ver um ótimo espetáculo de tango, não tem como fugir dos mais badalados, como Sr. Tango ou Tango Porteño, apesar de na Corrientes e no Café Tortoni terem opções para turistas não tão exigentes nesse quesito.

Não badalei à noite como gostaria, mas em compensação, conheci muito bem a Buenos Aires diurna, com sua luz fabulosa, mesmo em dias mais frios. A arquitetura suntuosa (mix de Art Nouveau com Déco) nos arredores  do Congresso, da Av. 9 de Julio, da Plaza de Mayo, da Recoleta e San Telmo faz com que você não queira se desgrudar da câmera um minuto sequer. É impressionante como o patrimônio público (aparentemente) é muito bem preservado por lá. Estamos há anos-luz de distância nesse assunto. Uma pena.

Mas nem só de pedra e mármore é feita Buenos Aires. Encontra-se muito verde ao perambular pela cidade e quando não, depara-se com praças enormes, bem cuidadas e que 'convidam' os transeuntes a descansarem no gramado nem que seja por poucos minutos. Como fui ainda na primavera, é revigorante observar a variação da paleta de cores natural impressa pelas flores das árvores nos diversos bairros da cidade. 

A verdade é que apesar de ter passado sete dias, ainda tenho muito o que conhecer por lá. No mínimo, preciso voltar para conhecer La Boca e Puerto Madero à noite, já que fui almoçar por lá no penúltimo dia de estada e perdi o belo anoitecer daquela região portuária. Sem contar , que tem dezenas de outros museus e locais interessantes que preciso clicar e não o fiz.

O ideal é aproveitar a valorização do real e se aventurar internacionalmente. Para quem consome fácil CDs, DVDs e livros como eu, a hora é essa de fazer a festa. Não deixe de passar na Ateneo- espécie de Livraria Cultura- uma das filiais fica na Calle Florida; na Zival's- ótima loja de CD e DVD (Calle Corrientes) e na Livraria do Instituto Borges e na Associacíon de Las Madres da Plaza de Mayo (Plaza Congresso).

Quando se põe na ponta do lápis os gastos de uma semana em Sampa e outra em Buenos Aires, vê-se que a distância até a capital portenha é menor que a do Sudeste do país. Escolha seu destino nessas férias de fim de ano e boa sorte.

Legenda da Foto 1: Casa Rosada (sede do Governo) situada na Plaza de Mayo

Legenda da Foto 2:  Interior da Catedral Metropolitana onde se encontra o Mausoléu do General San Martín

Legenda da Foto 3: Café Tortoni lembra um pouco a Confeitaria Colombo

Legenda da Foto 4: Congresso, palco das decisões políticas argentinas

Legenda da Foto 5: Igreja Ortodoxa Russa localizada na Plaza Dorrego em San Telmo

Legenda da Foto 6: A blogueira em pleno Jardín Japonés em Palermo
Postar um comentário