domingo, 14 de setembro de 2008

Salvador é bem ali...






Foi buscando assistir ao filme "Ensaio Sobre a Cegueira" de Fernando Meirelles, que viajei a Salvador este final de semana. Infelizmente, a película não entrou em cartaz por aqui (Aracaju mais uma vez, ficando fora do roteiro cultural em algum segmento), assim como "Linha de Passe" de Walter Salles e achei interessante "matar dois coelhos com uma tacada só".
Porém, meu roteiro sofreu algumas alterações (para melhor, com certeza) e decidi conferir os dois filmes bem amparados pela crítica, mas nem tanto pelo público, num segundo momento.

Terminei participando de algumas atividades da 35a Jornada Internacional de Cinema da Bahia e conferindo algumas exposições (Galeria Pierre Verger, Centro Cultural da Caixa, ACBEU, Galeria do Olhar, Palacete das Artes). Os atores Antônio Pitanga e Marlene França foram homenageados no evento.
Destaques para os documentários "Oscar Niemeyer-A Vida é Um Sopro" de Fabiano Maciel, que foi exibido no sábado à noite, no ICBA e "Projeto 68" que foi exibido no Museu de Geologia. Foi lá, inclusive, que me reencontrei com a jornalista Rosário Caetano, que é convidada do Curta-SE há quatro anos e participou em junho da I Semana do Cangaço organizado por Vera Ferreira e Germana.

Sempre simpática e antenadíssima com tudo que acontece no meio cinematográfico, Rosário disse ter adorado "Linha de Passe", ainda que a forma de conduzir a estória, faça com que Walter Salles mantenha uma certa distância do expectador.

Ou irei a Salvador novamente para constatar essa 'verdade', ou ficarei aqui cruzando os dedinhos para que o filme chegue na praça aracajuana.

Quanto às exposições, destaques para a singela montagem da artista plástica Mili Genestreti no ACBEU; "Circo Nerino" no Centro Cultural da Caixa; "Jenner- Da Natureza em Busca da Cor" no Palacete das Artes/Rodin; Galeria do Olhar (com obras expostas de Mário Cravo, Chris Day, Marc Dumas, entre outros) e Acervo da galeria Pierre Verger.

Quem tiver tempo, disposição e curiosidade de fazer um tour cultural pela capital baiana deve se apressar, pois muitas dessas exposições só permanecem em cartaz, até o final deste mês.

A 35a Jornada Internacional de Cinema da Bahia que traz como tema "1968, o Ano que Mudou o Nosso Mundo" prossegue até o dia 18 de setembro, com cadastramento gratuito para conferir toda a programação.

Engraçado, que há tempos, eu achava surreal, quando formavam-se caravanas de sergipanos para assistirem a certos espetáculos no Teatro Castro Alves. Passados seis anos de inaugurado o TTB, muita coisa mudou, com uma certa positividade. Mas quem quiser ainda assistir a certos filmes e ver arte de primeira qualidade (salvo raros espaços aracajuanos), a saída é viajar para o mercado cultural efervescente mais próximo.

E para os que curtem música percussiva, nos dias 18 e 19 de setembro, acontece no Teatro Castro Alves, a 15a Edição do Panorama Percussivo Mundial. Uma tentação!!!


Foto 1: Sílvio Tendler marcando presença na Jornada

Foto 2: Eu e Maria do Rosário Caetano

Foto 3: Integrantes da mesa debatedora sobre "68+40"


Crédito: Renata Ouro


Suyene Correia






Um comentário:

Mahcelo disse...

Parabens pelo blog, de muito bom gosto, sensato e o melhor! acrescenta e muito para a discurssão da arte e da cultura no cenário sergipano! ja conehcia seu trabalho como jornalista, em bancas que participou de tcc e etc, porém apenas agora o lado "blogueira",
novamente, parabens