quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Waldick, Sempre no Meu Coração...


Não é porque o cantor Waldick Soriano morreu hoje, aos 75 anos, vítima de complicações por conta de um câncer na próstata, que indico o documentário "Waldick, Sempre no Meu Coração" de Patrícia Pilar.
Quando assisti ao filme no início de julho, no I Festival Paulínia de Cinema, já havia elogiado o filme aqui no blog, uma vez que fiquei encantada com o domínio de Pilar em não tropeçar na pieguice e nem "pintar" o personagem como vítima de sua intolerância (às, vezes), doença e solidão.
Mesmo quando o personagem principal diz: "Sou famoso, e daí? Me falta tanta coisa... Sei que não vou encontrar ninguém pra dizer: estou contigo", o filme não descamba para o melô.
Para quem gosta de cinema, mesmo que não morra de amores pelo "ícone brega", a conferida no filme é obrigatória. Ainda que "Waldick, Sempre no Meu Coração" só esteja sendo exibido em festivais (um sucesso por onde é visto), o documentário quando for lançado nacionalmente ou sair em DVD, deverá prolongar esse sucesso.
O mérito é da diretora e produtora Pilar, bem assessorada pela equipe técnica e se revelando como uma cineasta de mão cheia. Talvez, um ponto fraco do filme seja o escasso material de arquivo. Patrícia talvez tenha preferido se ater ao Waldick do presente, só se reportando ao passado, através de fotos e depoimentos de ex-companheiras do cantor.
Uma cena marcante é a que pai e filho (que não se dão bem) se reencontram numa casa noturna. O filho tenta uma reconciliação com o pai, mas este, impassível, não reage.
É por esse e outros belos momentos de "Waldick, Sempre no Meu Coração" que o longa deve ser visto e Waldick, sempre lembrado.

Suyene Correia
Postar um comentário