terça-feira, 4 de agosto de 2009

Aperitivo sobre "Anistiados"

A exposição "Anistiados" só será aberta nesta quinta-feira, às 20h, na Galeria de Arte Álvaro Santos, mas minha amiga e competente jornalista, Lara Aguiar, que participa da coletiva com o texto "Pedido", permitiu que eu divulgasse em primeira mão, seu voo poético sobre um dos trabalhos em pirogravura de Bosco Rolemberg, que ele concebeu na prisão da Ilha de Itamaracá, nos anos 70.

A convite de Joana Côrtes, filha de Bosco e uma espécie de curadora da exposição, Lara , Cleomar Brandi, Carlos Cauê, Maruze Reis, Maria Carolina Barcellos, Nina Sampaio, Ronaldson, e Valdimir Oliveira criaram textos que revelam suas impressões com relação à Ditadura, Anistia e Liberdade.

A seguir o texto "Pedido", na íntegra:
Se um dia me vir passar por estes becos, sem cor, papel sem rascunho, esperança do não visto, acenda uma lâmpada de misericórdia e permita o meu semblante vazio, minhas mãos atadas, meus sonhos sem limite indo com aquela água que escorre bueiro abaixo. Deixe-me suspirar pela soltura dessa realidade. E mesmo que não possa me erguer, não atrapalhe o rumo dos meus ideais e a coragem das minhas palavras, que mesmo caladas ainda se tremem de tontura anunciada. Veja apenas o ressentimento das minhas roupas, o frio que a minha dignidade sente e a falta de flores no meu caminho. Se não puder me estender o mínimo, confie nos meus passos, que vão guiados pelo cansaço de alma pronta para o abismo. E se a minha dor lhe perturbar, meu amigo, feche os olhos, imagine um mundo aberto e respire o resultado de uma treva que alcancei para fazer dos muros e das ordens uma liberdade suada e suja de sangue, tremor e vísceras.

Foto: Reprodução da tela de Bosco Rolemberg que inspirou a jornalista

Postar um comentário