terça-feira, 20 de dezembro de 2011

ORSSE executa "O Messias" de Handël



O ano de 2011, sem dúvida, foi um dos melhores na história da Orquestra Sinfônica De Sergipe (ORSSE). Durante a temporada deste ano, cujos concertos foram realizações da Secretaria de Estado da Cultura e contaram com o patrocínio do Instituto Banese, a ORSSE conseguiu trazer para o Estado uma gama de artistas convidados, de renome internacional, como André Mehmari, multi-instrumentista, aclamado em diversos países, o pianista Jean Louis Steuerman; Emmanuele Baldini; Daniel Guedes; Mario Ullôa; Gabriela Queiroz; Eduardo Monteiro; Amaral Vieira e Gabriel Marin, além de ter realizado a primeira apresentação fora do país, no Festival Internacional de Música Barroca, em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia), onde apresentou a Ópera La Bohème, em forma de concerto.

Para encerrar em grande estilo a temporada 2011, a Orquestra Sinfônica de Sergipe, sob a regência do maestro Guilherme Mannis, apresentará, de forma inédita no Estado, “O Messias” Oratório, HWV 56  , de Georg Friedrich Händel, com participação do Coro Sinfônico da ORSSE e dos solistas Edna d’Oliveira (soprano), Paulo Mandarino (tenor), Ariadne de Oliveira (contralto) e Cláudio Alexandre (baixo). Os concertos ocorrerão amanhã e quinta-feira, a partir das 20h30, no Teatro Tobias Barreto.

O oratório foi estreado em Dublin, em 1742. Nessa ocasião celebrava-se o período da Páscoa. Ainda assim, o texto sobre o qual se desenrola a partitura permite adequar-se de igual modo à época natalina. Possui uma criteriosa seleção de escrituras bíblicas recolhidas no antigo e novo testamento e divide-se em três partes. Na primeira são evocadas profecias e aclama-se a encarnação do Messias. Preenche-se deste modo quase metade da obra, em plena consonância com a temática religiosa que substancia a celebração do Natal. Depois, na segunda parte, relata-se a paixão e a ressurreição de Cristo. Já nos últimos números, a terceira parte, comemora-se o triunfo, a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos. 

“Todo este trabalho é fruto de muita dedicação e profissionalismo de nossos músicos, o carinho e emoção de nosso público e, sobretudo, o compromisso que o Governo do Estado de Sergipe tem com o crescimento cultural do seu povo, através da Secretaria de Cultura e o apoio vital do Instituto Banese. A ORSSE proporcionou um reconhecimento nacional da música produzida no Estado. Agora pensamos em novo tempo, em criar uma perspectiva de futuro musical aos nossos jovens.” compartilha o maestro Mannis, que no concerto de “O Messias” contará com o auxílio do maestro Daniel Freire, regendo o  Coro Sinfônico da ORSSE.

Os ingressos para a apresentação já se encontram à venda na bilheteria do teatro (das 13 às 20h) ao preço de R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia).

Legenda da Foto: Guilherme Mannis regendo a ORSSE, com Coro Sinfônico ao fundo
Postar um comentário