quarta-feira, 17 de abril de 2013

Bethânia traz a Aracaju "Carta de Amor"

Bethânia canta em meio ao criativo cenário de Bia Lessa


Depois de três meses de espera (a data inicial do show era em janeiro), os sergipanos poderão conferir o show “Carta de Amor”, da nova turnê de Maria Bethânia. Marcado para este domingo, às 20h, no Teatro Tobias Barreto, o espetáculo é baseado no disco “Oásis de Bethânia”- 50º álbum da carreira da cantora- composto por 10 canções, sendo metade delas inéditas.

Cada uma das músicas do disco recebeu um arranjo inédito de convidados especialíssimos, que unidos à voz única de Bethânia, trazem o tempero ideal para a sonoridade marcante do novo trabalho. E é esta sonoridade nova que “Carta de Amor” traz.  “O show vem do disco; é a base de onde eu parti, da mudança sonora que fiz ali com vários músicos”, conta Bethânia. “O título do show não se refere apenas à faixa do disco ‘Carta de Amor’, mas a todo tipo de amor que canto no show: o amor maduro, o amor inconstante, o amor traído, o amor eterno, o passageiro, o triste, o alegre...”, completa.

 “Convidei o Wagner Tiso, maestro das Minas Gerais, para tocar com uma cantora baiana!”, brinca. Além de Wagner Tiso (maestro e piano), Gabriel Improta (violão e guitarra), Paulo Dafilin (violão e viola), Jorge Helder (baixo), Pantico Rocha (bateria), Marcelo Costa (percussão) e Marcio Mallard (cello) a acompanham.

Wagner, que já gravou com Bethânia, mas está dividindo o palco com ela pela primeira vez, acha a experiência inovadora. “Já toquei com outros baianos, mas com Bethânia é diferente porque ela leva o teatro para o palco. Trabalhar com ela é interessante artisticamente porque ela sabe muito bem o que quer e trata com muito respeito o trabalho e a carreira. É uma pessoa doce e educada, firme naquilo que quer para seus shows”. O maestro completa: “Meu objetivo é colorir as ideias de Bethânia. Levo para o show minha cabeça orquestral, o que dá um contraste bonito entre o recôncavo dela e minha mineirice. E conto com a ajuda desses músicos maravilhosos”.

 E é a leveza e a cumplicidade em cena da cantora com os músicos que têm chamado a atenção do público e críticos desde a estreia do espetáculo no Rio de Janeiro em 18 de novembro e depois em Salvador, Belo Horizonte e Fortaleza – todos no ano passado e com ingressos esgotados. Da iluminação aos arranjos, da banda ao maestro, da cenografia ao figurino, tudo parece novo neste show, mostrando que Bethânia, aos 67 anos e 48 anos de carreira, se renova sempre.

No repertório do show, dividido em dois atos, constam “Salmo” (Rafael Rabelo e Paulo Cesar Pinheiro), “Calúnia” (Marino Porto e Paulo Soledade), “Barulho” (Roque Ferreira), “Casablanca” (Roque Ferreira), “Carta de Amor” (Paulo Cesar Pinheiro), “O Velho Francisco” (Chico Buarque) do disco “Oásis de Bethânia” e “Canções e Momentos” (Milton Nascimento e Fernando Brant),  “Sangrando” (Gonzaquinha), “Negue” (Adelino Moreira e Enzo de Almeida Passos), “Marambaia” (Rubens Campos e Henricão), “A Casa É Sua” (Arnaldo Antunes e Ortinho), além de um medley de sambas de roda.    

 Quem assina a direção e o cenário de “Carta de Amor” é Bia Lessa, já a iluminação fica a cargo de Tomás Ribas. Os ingressos para o espetáculo já estão à venda na bilheteria do teatro ao preço de R$ 350 (inteira) e R$ 175 (meia) na plateia e R$ 250 (inteira) e R$ 125 (meia) no mezanino.

Crédito da Foto: Taiz Dering 
Postar um comentário