sexta-feira, 12 de abril de 2013

"Titeuf": bela animação francesa

Cena de Titeuf: o filme_http://bangalocult.blogspot.com
Titeuf e Nadia: amor à primeira vista ?

Estou atrasadíssima com relação à apreciação de alguns filmes que assisti em São Paulo. "Dentro da Casa" de François Ozon é um deles. Mas antes de me debruçar na crítica do mais recente filme do diretor francês de "Oito Mulheres", "Swimming Pool" e "Potiche", escreverei sobre a animação franco-suíça "Titeuf: o Filme" dirigido por Zep.

Baseado no personagem em quadrinhos, criado pelo artista Philippe Chappuis, o  filme mostra o dia a dia do topetudo Titeuf, um divertido garoto, que além de ir para a escola estudar, tem que lidar com o descaso de Nadia (voz de Mélanie Bernier), a garota mais bonita da sala, por quem ele é apaixonado, mas que não o convidou para o seu aniversário. Como se não bastasse  essa "desgraça", os pais de Titeuf pedem 'um tempo'  e o garoto terá que conviver uns dias somente com o pai e, ocasionalmente, visitar a mãe na casa de sua avó.

É muita mudança para uma criança na faixa dos oito anos, mas por sorte, o diretor aborda a rejeição amorosa e a separação dos pais de forma neutra, sem julgamentos e sem cair no melodrama. A imaginação de Titeuf o salva, por vezes, da dolorosa realidade. Ela vai ser capaz de  levá-lo a lugares bem divertidos, como da Pré-história ao Faroeste, onde ele encontrará um velho aventureiro, estranhamente parecido com Johnny Hallyday (ídolo roqueiro francês dos anos de 1960); sem falar, de passagem, do universo do Grande Mugul... 

A animação é voltada para o público da primeira infância, mas nada impede de adultos e aficionados pelos quadrinhos curtirem também. A versão legendada (limitante para a gurizada) é um primor, tendo em vista que Donald Reignoux (voz de Titeuf) constrói muito bem o personagem principal e o fato de ser 2D, só enaltece o trabalho dos desenhistas e coloristas envolvidos no projeto.

Ainda que a duração do filme seja um pouco esticada (75 minutos) e, o final desenrole-se abruptamente,  aposto numa indicação ao Oscar de Animação no ano que vem. Seria bom se passasse por aqui, no Cine Cult.



Postar um comentário