quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Espera Cruel....

Adoro o trabalho de Deborah Colker não só pela sua performance no palco, mas também pela sua versatilidade, poder criativo e de invenção. Porém, desde que ela deixou de dançar em seus espetáculos (aqui em Sergipe, não a vemos no palco, desde 4 X4 de 2002) seus espetáculos ficaram mais frios, "artificiais".
Quando deparei-me com as fotos de divulgação de Cruel, criei a expectativa de que este nono espetáculo da carreira da Cia. de Dança Deborah Colker, superasse o anterior Nó. Ledo engano.
Achei os dois atos mornos, sobertudo o segundo, que tinha tudo para arrebatar -os bailainos faziam performances com quatro espelhos gigantes vazados- contudo o mau uso dos artefatos cenográficos, levou-me a um enfado só. Minha espera tornou-se "cruel"...
Não seria o caso da Deborah voltar a dançar? Colocar sua energia no palco e alavacar o talento desses bailarinos/alpinistas? Era bom que ela fizesse uma reflexão sobre o assunto. Quem sabe, no próximo, eu não sinta novamente o prazer que tive ao assistir Rota e 4 X 4 ?

Uma observação: a Secretaria de Estado da Cultura, através da diretoria do Teatro Tobias Barreto precisa tomar providências uregntes com relação aos coletivos que estão utilizando o estacionamento do Teatro como garagem. Como se não bastasse a área diminuída do estacionamento por conta da construção do viaduto, agora, o público tem que dividir o espaço dos seus carros com o transporte urbano. Um absurdo!!!


Suyene Correia
Postar um comentário