sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

"Zumbi: o Livro dos Mortos"



A LeYa Cult e a Barba Negra lançam “Zumbi: o Livro dos Mortos”, do jornalista Jamie Russel. São mais de 400 páginas, fartamente ilustradas, resultado de intensa pesquisa sobre origens e representações desse personagem de pouco prestígio e destaque, mas de presença marcante na cinematografia de terror.

Jamie Russel, especialista em cinema, parte da constatação que na extensa bibliografia sobre o gênero terror, os zumbis mereceram pouca atenção. Enquanto lobisomens, vampiros e mesmo serial killers foram exaustivamente analisados, os zumbis em geral são retratados como meros figurantes. “Zumbis são a massa plebeia do cinema de terror, criaturas sem alma que perambulam sem personalidade nem propósito”, reconhece o autor.

Para Russel, parte desse descaso deve-se à falta de “herança literária”: enquanto as centenas de versões de Drácula descendem do romance de Bram Stocker, outros tantos Frankensteins possuem algum grau de parentesco com a obra de Mary Shelley – e esses enredos encontram inspiração, muitas vezes, no folclore e em antigas lendas populares. Já os zumbis são monstros modernos, nascidos no século XX, cuja aparição no mundo anglo-saxônico, o autor situa no ano de 1929.

Apesar da falta de glamour, eles vieram para ficar. Mesmo antes de brilharem no videoclipe mais famoso da história – o “Thriller” de Michael Jackson –, já haviam conquistado um lugar na cultura pop, presentes em uma extensa lista de filmes. Entre eles destacam-se títulos consagrados pelo público e pela crítica especializada, como "A Morta-Viva" (I Walked With a Zombie, 1943), "Vampiros de Almas" (Invasion of the Body Snatchers, 1956), "A Noite dos Mortos-Vivos" (Night of the Living Dead, 1968) e "Despertar dos Mortos" (Dawn of the Dead, 1978), para citar apenas alguns.

O preço sugerido é R$ 45.
Postar um comentário