domingo, 18 de julho de 2010

Depois da "Tempestade", a Favela...





Se no primeiro dia de competitiva, o saldo não foi dos melhores, na noite de ontem, pode-se dizer que o Paulínia Festival de Cinema 2010 parece ter encontrado o seu caminho: o do sucesso. O público, que praticamente lotou as dependências do Theatro Municipal de Paulínia, vibrou com a exibição de “5x Favela, Agora Por Nós Mesmos” dos diretores Manaíra Carneiro, Wagner Novais, Rodrigo Felha, Cacau Amaral, Luciano Vidigal, Cadu Barcellos e Luciana Bezerra.

Produzido por Cacá Diegues e Renata de Almeida Magalhães, o filme é composto de cinco episódios, totalmente concebidos e realizados por jovens moradores de favelas do Rio de Janeiro.

Se o internauta pensa que as histórias são triviais e repletas de clichês, ledo engano. Os realizadores, provavelmente saturados dos esteriótipos tão explorados em filmes nacionais e estrangeiros sobre essas comunidades periféricas, fugiram do óbvio e conseguiram resultados acima da média.

Destaque para o segundo episódio intitulado “Arroz com Feijão” protagonizado por Flávio Bauraqui e sob a direção Manaíra Carneiro e Wagner Novais; “Concerto para Violino”, de Luciano Vidigal e “Acende a Luz” de Luciana Bezerra.

A cada episódio mostrado, o público ia à loucura, aplaudindo calorosamente. Também foram bem recebidos o documentário “São Paulo Companhia de Dança” de Evaldo Morcazel e o curta nacional “Estação” de Márcia Ferreira, ambos competindo nas respectivas categorias.

A noite de atividades no teatro foi iniciada com a exibição do curta regional “Nicolau e as Árvores” que, segundo o diretor Lucas Hungria, da cidade de Campinas, é sobre um menino mal compreendido pelo mundo. Cá para nós, acho que não é só o garoto, não.

Logo mais, teremos debates com os realizadores e elenco desses filmes. E por falar em debates, ontem pela manhã, houve bate papo com a equipe de “Tempestade”, que a pedidos, será exibido para a imprensa na manhã de segunda-feira (dessa vez, não perderei), com a equipe do documentário “Leite e Ferro” (confesso que depois de ouvir as explicações da diretora estreante Cláudia Priscilla, esposa de Kiko Goifman, tornei-me mais condescendente com o filme) e o tão esperado encontro com o diretor Luiz Alberto Pereira e grande elenco.

Isso porque, o filme para quase a totalidade dos jornalistas que o assistiu foi uma “grande piada”. Não dá para levar a sério um personagem com o nome de Herculano, astrólogo e que dará uma consultoria para uma rede de TV que irá produzir a novela “As Doze Estrelas”.

Um trocadilho, talvez, se levarmos em consideração que as 12 estrelas em questão são as atrizes Leona Cavalli, Débora Duboc, Mylla Christie, Rosane Mullholland, Sílvia Lourenço, Adriana Alves, Martha Meola, Juliana Vedovato, Djin Sganzerla, Gabrielle Lopez, Carla Regina, Paula Franco e Lívia Guerra.

O problema é que fora eu, Neuza Barbosa (editora da Cineweb) e o Marcos Pertrucelli (Rádio CBN), ninguém mais teve a oportunidade de fazer seus questionamentos. Motivo: a amiga e colega Maria do Rosário Caetano (Revista de Cinema) pediu para que cada uma das atrizes presentes (eram sete na ocasião) e mais os atores Paulo Betti, Leonardo Brício e Munir Kanaan fizesse um resumo biográfico e falasse da experiência de trabalhar em "As Doze Estrelas".

Óbvio que eles "rasgaram muita seda" pro lado do diretor Luiz Alberto Pereira (conhecido no meio artístico como "Gal") e o tempo foi encerrado antes que alguém pudesse lançar perguntas capciosas ao grupo. Para não fugir à regra, Petrucelli, preferiu fazer um comentário, a perguntar. Disse que no ano passado, Lucélia Santos representou o filme "Destino", o qual produziu e atuou, no Festival de Paulínia e ele foi considerado o fiasco do ano. Que se o público tinha recepcionado bem o filme "As Doze Estrelas", o mesmo não poderia ser dito da crítica.

Luiz Alberto respondeu à provocação, dizendo não se preocupar com isso. "A crítica já malhou outros filmes meus, como "Jânio a 24 Quadros" e "Tapete Vermelho", no entanto, eu continuo fazendo filmes".
Mas o casting de belas atrizes (algumas de carreira consolidada no cinema) não foi suficiente para salvar esse, que já está sendo considerado até agora, o filme fiasco do festival. Uma pena!!

Texto e Fotos: Suyene Correia

Legenda da Foto 1: O ator Flávio Bauraqui que faz parte do elenco de "5 x Favela..." conversou com a blogueira sobre a finalização de "O Senhor do Labirinto", com provável estreia para o Fest Rio

Legenda da Foto 2: O diretor César Cabral explicou na coletiva de ontem o processo de produção de "Tempestade"

Legenda da Foto 3: Cláudia Priscilla e Kiko Goifman (centro) debatendo sobre o documentário "Leite e Ferro"

Legenda da Foto 4: Parte do elenco de "As Doze Estrelas". Da esquerda para a direita, Débora Duboc, Leona Cavalli, Paulo Betti e Silvia Lourenço

Legenda da Foto 5: Leonardo Brício e a blogueira

Legenda da Foto 6: Cacá Diegues após apresentação do filme que produz "5 x Favela..."

Legenda da Foto 7: Parte do elenco e equipe de "5x Favela, Agora Por Nós Mesmos"

Legenda da Foto 8 : Pausa para o jantar. Em sentido horário: Marcos Santuário do Correio do Povo (RS), eu, Anna Lisboa do Jornal de Brasília, Marcos Petrucelli (Rádio CBN), Amilton Pinheiro da Brasileiros e Lúcio Vilar do Correio da Paraíba

Postar um comentário