segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A Cor do Som e Elza Soares foram destaques no Conexão Vivo Salvador



A chuva deu uma trégua na noite de sábado, e o público que compareceu à  Praça Wilson Lins, na Pituba, pode apreciar não só a lua cheia, que despontava vez por outra entre as nuvens meio carregadas, como também, as hipnotizantes apresentações de Elza Soares e A Cor do Som.

A diva do samba, ainda que debilitada por conta de uma cirurgia recente na coluna vertebral, cantou magistralmente como convidada dos mineiros do Senta Pua! entoando sucessos como “Se Acaso Você Chegasse” de Lupicínio Rodrigues, “O Neguinho e a Senhorinha” de Noite Ilustrada e “Beija-me” de Roberto Martins e Mario Rossi.

Cantando sentada, numa confortável poltrona instalada no centro do palco, Elza Soares  incendiou a plateia com seus efeitos vocais e assessorada pelo seu arranjador, o saxofonista Eduardo Neves, presenteou o público com mais um bis, fora do script. “A única coisa que está fora do lugar é a coluna. O resto está tudo em cima, a voz...”, disse a incansável sambista, pouco antes de sair de cena.

Já passava da meia-noite e meia, quando Dadi (baixo), Mú Carvalho (teclados), Armandinho (guitarra), Gustavo (bateria) e Ary Dias (percussão) do A Cor do Som iniciaram seu show. Quando os primeiros acordes da instrumental “Pororocas” foram executados, o público entrou numa catarse que só iria finalizar, com a última canção do set list, “Dentro da Minha Cabeça”. Até lá, viriam ainda os hits “Abri a Porta”, “Menino Deus”, “Zero” e a arrepiante “Frutificar”.

Em noite inspiradíssima, Armandinho comandou o grupo que surgiu no final da década de 1970 e que se dissolveu em 1985. Em 2005, reuniram-se para um show no Canecão, que rendeu o CD e DVD, “A Cor do Som Acústico”.

Foi baseado no repertório desse show, que os baianos e cariocas encerraram a terceira noite do Conexão Vivo Salvador, tendo como participação especialíssima, Pepeu Gomes. Difícil não ficar boquiaberta com o duelo dos guitarristas veteranos em “Beleza Pura” e “Zanzibar”. Sem dúvida, uma apresentação memorável.


Ainda subiram ao palco do Conexão Vivo Salvador, no sábado, à noite, Sertanília (BA) tendo como convidados os ex-integrantes do “Cordel do Fogo Encantado”, Nego Henrique e Emerson Calado; o coletivo mineiro Família de Rua na Estrada e o Duelo de MCs; Alisson Menezes e a Catrupia (BA) com os convidados Paulo Monarco (MT) e Maviael Melo (BA); a mineirinha Érika Machado e os convidados Rebeca Matta e Dois em Um, ambos da Bahia, e Samba de Compositor (MG) e Mariene de Castro (BA).

Eu já não estava mais lá, no domingo, quando foi encerrada essa etapa com apresentações de Wilson das Neves, Manuela Rodrigues, Edson Gomes, Flávio Renegado, entre outros. Mas digo, sem medo de errar que Elza e A Cor do Som protagonizaram as melhores apresentações do eveno neste final de semana.

Agora, é esperar o resultado do edital lançado no último dia 04 e que prossegue até próximo domingo, que contemplará artistas de todo país para mostrar sua música em cidade de até 11 Estados brasileiros. A capital sergipana já está confirmada para receber o evento no final deste ano ou no início do próximo. Mais detalhes pelo site http://www.conexaovivo.com.br/

Textos e fotos: Suyene Correia
Legenda da Foto 1 e 2: Elza Soares soltou o vozeirão acompanhada dos músicos do Senta a Pua!

Legenda da Foto 3: Pepeu Gomes (convidado) e Armandinho durante a apresentação do lendário A Cor do Som

Um comentário:

Mônica Araújo disse...

Como já era de se esperar...o sábado seria realmente:destaque.
Agora é só torcer para que na próxima edição do Conexão Vivo,tenhamos a sorte,ainda que remota,de entrar num estado catártico ao som de A Cor do Som,e prestigiar,mais uma vez,a voz da saudosa Elza Soares.